Por Elizabete Vasconcelos

Boa parte das fabricantes de caminhões havia previsto que o último trimestre de 2011 seria de vendas aquecidas, porque o mercado iria antecipar compras de 2012, ano em que os caminhões ficarão mais caros por conta das novas tecnologias para atender as normas ambientais que tornarão os motores menos poluentes. No entanto, a estimativa não se confirmou e os últimos números divulgados pela Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) revelam que no mês de novembro houve uma redução de 3,2% nas vendas destes veículos quando comparado ao mês de outubro. Em relação ao mesmo período do ano anterior, a baixa é mais significativa ainda: 7,7%. Segundo o balanço da entidade, foram emplacadas 13.441 unidades em novembro, contra 13.882 em outubro e 14.566 em novembro de 2010. Porém, no acumulado do ano, o segmento obteve um alta de 12,1% com a comercialização de 157.241 caminhões.

Em termos de produção, saiu das fábricas instaladas no País um total de 19.289 caminhões em novembro. Comparado com outubro, este número é 1,6% menor, em compensação há uma alta de 10,9% em relação ao mesmo período de 2010. Conforme os dados, no acumulado do ano foram produzidas 197.929 unidades, volume 13,5% maior que no mesmo período do ano passado. Em relação a 2012, a Anfavea adiantou que prevê estabilidade em relação às vendas, já que o valor de comercialização dos veículos deve interferir nas intenções de compra. No entanto, não descarta a possibilidade de que haja uma redução de até 10% nos negócios do segmento.