Conectividade é um sistema de gerenciamento que acompanha várias funções do caminhão e da condução em tempo real. Por esse motivo, é uma ferramenta que contribui para aumentar a eficiência no transporte e melhorar o gerenciamento da manutenção do caminhão e também gastos com combustível. Como consequência, o frotista ou autônomo consegue uma redução significativa nos custos operacionais.

Mas, como a conectividade contribui para a redução de custos operacionais?

A resposta é simples, um veículo conectado gera informações valiosas sobre os hábitos do motorista no volante e, em tempo real, mostra todo o comportamento do caminhão por todas as rotas atravessadas. Assim, com essas informações em mãos, é possível melhorar a produtividade e aumentar o tempo de atividade, reduzir gastos com manutenção e diesel, melhorar a segurança e ainda contribuir com o meio ambiente por conta da redução de emissões.

A redução de custo está diretamente ligada ao tipo de condução e de manutenção. Ter em mãos dados que mostram e avaliam a dirigibilidade permite ao motorista melhorar o seu desempenho. Somado a isso, ele também tem acesso a necessidade de manutenção sem ter que esperar uma peça quebrar ou até mesmo correr o risco de ficar muitos dias parado. O autônomo passa a promover uma manutenção preventiva.

https://www.ocarreteiro.com.br/26-quais-as-vantagens-da-conectividade-para-o-transporte/

Portanto, uma condução mais eficiente e a manutenção preventiva vão contribuir para que os custos desse profissional sejam reduzidos

Para o gerente de portifólio de serviços de conectividade da Scania no Brasil, Alex Barucco, o principal impacto de uma condução mais eficiente é a redução do combustível, em seguida vem o desgaste de pneus, de freios, entre outros componentes, o que impacta diretamente na manutenção. Como exemplo ele cita alguns clientes de transporte de grãos que obtiveram melhorias no consumo de diesel na ordem de 8 a 12% somente aperfeiçoando o modo de dirigir dos motoristas.

O engenheiro Antonio Lauro Valdivia Neto, profissional especializado em transporte, também concorda que o modo de dirigir o caminhão é o fator que mais impacta no consumo, podendo chegar a uma diferença de 20%. “Motoristas que trocam a marcha no momento correto acabam freando menos, pois utilizam mais o freio motor. Por outro lado, manter o motor bem regulado, pneus calibrados e troca de óleo em dia também contam muito”.