Pedágios máximos que poderão ser cobrados serão de R$ 6,40 e R$ 4,20

As concessões de trechos das rodovias BR-040 e BR-116, que passam por Minas Gerais, vão demandar investimentos de R$ 11,6 bilhões. A ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) divulgou que a taxa interna de retorno ao investidor será de 5,50% ao ano. Em ambos os casos, vencerá o leilão o grupo que apresentar a menor tarifa de pedágio para as áreas licitadas.

O edital do trecho mineiro da rodovia BR-116 deve sair até o fim de novembro, e o leilão deve ocorrer até o fim de dezembro. O concessionário terá de investir R$ 5,1 bilhões. Já o edital da BR-040 deve ser publicado até o fim de dezembro, com previsão para o leilão ocorrer até o fim de janeiro de 2013. Esse trecho receberá investimentos de R$ 6,5 bilhões.

Com 936,8 quilômetros, o trecho da rodovia BR-040 que será concedido para a iniciativa privada ligará Juiz de Fora, na Zona da Mata, a Brasília (DF), passando por Goiás. A tarifa será de, no máximo, R$ 0,0495 por quilômetro, ou R$ 4,20 por praça de pedágio – serão 11, ao todo, uma a cada 78 quilômetros. O trecho da rodovia BR-116 que será concedido terá 817 quilômetros, todos em Minas Gerais, entre as divisas do Estado com a Bahia e o Rio de Janeiro. A tarifa-teto por quilômetro será de R$ 0,0627, ou R$ 6,40 em cada uma das oito praças de pedágio previstas.

Os dois trechos são os primeiros a serem leiloados dentro do pacote de concessões anunciado pela presidente Dilma Rousseff em 15 de agosto, no valor de R$ 133 bilhões. O governo planejava repassá-los à iniciativa privada e o cronograma de licitação já era divulgado desde os balanços da primeira etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), ainda durante o governo Lula. As rodovias passaram a fazer parte do pacote de concessões devido a atrasos.

De O Tempo