A Polícia Rodoviária Federal anunciou a intensificação das operações e fiscalizações em pontos de prostituição e tráfico para reduzir o índice de carreteiros que agem sob efeito de entorpecentes – rebites, cocaína, crack, maconha e outros – na estrada. Dados divulgados pela Polícia Militar de Minas Gerais, mostram que dos mais de 5 mil acidentes envolvendo veículos de carga nas estradas estaduais no ano passado, apenas 77 motoristas de caminhões e carretas foram conduzidos à delegacia pelo uso de drogas no volante. “Vamos fazer mais operações e fiscalizar depois que nosso departamento de inteligência avaliar os locais mais vulneráveis. Nada disso ficará impune”, afirmou o chefe da Seção de Técnica de Trânsito da Diretoria de Meio Ambiente e Trânsito (DMAT) da PM, capitão José Procópio Corrêa Júnior. De acordo com a PRF, em 2011 foram realizadas duas operações contra o tráfico de entorpecentes e várias ações contra a prostituição infantil. “O alerta da prostituição inserindo estimulantes no meio dos caminhoneiros muda a figura da atividade”, afirma a inspetora Fabrizia Nicolai. “Prostituição não é crime, mas o tráfico dessas substâncias é, além de ser um dos piores fatores para acidentes, já que os motoristas de caminhão usam os rebites para dirigir sem dormir”, alerta.
Fonte: Estado de Minas