O IPEA (Instituto Nacional de Pesquisa Econômica Aplicada) acaba de divulgar levantamento mostrando que os Estados de Rio Grande do Sul, Goiás, Mato Grosso e São Paulo concentram 82,5% da produção de biodiesel do País. De acordo com o estudo, o domínio se deve a elevada produção de soja nessas regiões, principal fonte usada para fabricar o combustível. Segundo o técnico de planejamento e pesquisa do Ipea, Gesmar Santos, a regionalização do produto é um dos principais entraves à expansão da produção do biodiesel. O Nordeste e Norte sofrem carências econômicas e sociais, principalmente nas zonas rurais, por isso, é necessário que seja dada maior atenção a essas regiões. A partir de informações da Agência Nacional de Petróleo (ANP) e do Ministério de Minas e Energia sobre as tendências de distribuição regional do produto, o estudo do Ipea adianta que não há perspectivas, a curto prazo, de mudança nesse quadro. O Centro-Oeste lidera com 25 usinas em operação e, em segundo, o Sudeste com 13. Nordeste e Norte figuram em último lugar, com seis  e cinco, respectivamente. O estudo sugere que as políticas públicas terão efeito positivo quando promoverem a produção do biodiesel em outras regiões e com outras matérias-primas oleaginosas, além da soja. A distribuição da produção industrial sem matéria-prima regional só se justificaria temporariamente, em razão do consumo e da consolidação das indústrias. Além disso, as medidas devem estimular o empreendedorismo de pequeno e médio porte.
Fonte: CNT