Dados divulgados pela Agência Internacional de Energia (AIE) apontam que a participação dos biocombustíveis na matriz energética dos transportes pode subir  de  2% para 27% em 2050.  Para isso será necessária à plantação de 100 milhões de hectares, algo que exige disponibilidade tanto de terrenos quanto de matérias-primas. Feito a partir de amido, açúcar e oleaginosas, os biocombustíveis se usados em ampla escala podem evitar a emissão de uma enorme quantidade de dióxido de carbono, substância causadora do efeito estufa e consequentemente do aquecimento global.

Fonte: Agência Estado