O saldo total de crédito para aquisição de automóveis fechou o mês de fevereiro em alta, totalizando R$ 201,5 bilhões. O crescimento foi de 6,6% em relação ao mesmo período em 2011. Os números pertencem ao Boletim Mensal da ANEF (Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras).
De acordo com a entidade, o cenário atual segue a mesma tendência de 2011, em que o crescimento foi contínuo, porém mais moderado, principalmente se comparado a 2010. Segundo a entidade, historicamente, o primeiro semestre do ano é menos aquecido que o segundo e o setor deve voltar a crescer a taxas mais elevadas a partir dos próximos meses.
Inadimplência – Em alta desde o final de 2011, o saldo da inadimplência no CDC (Crédito Direto ao Consumidor) acima de 90 dias alcançou a marca de 5,5%, um aumento de 0,2 ponto percentual frente ao mês anterior, e de 2,7 pontos percentuais em comparação com o mesmo período do ano passado.
Os dados do Banco Central confirmam a preocupação que já existia entre os bancos de montadora, principalmente pelo fato de que, até o momento, não foi verificada uma reversão na tendência das curvas de inadimplência, e nem mesmo uma sinalização de alguma estabilização.
Para a ANEF, os números são expressivos, mas podem não representar um retrato fiel da realidade. Isso porque, a grande maioria dos consumidores em situação de inadimplência procura a instituição financeira para ajustar o fluxo de pagamento de suas prestações em atraso, porém, as estatísticas de inadimplência não podem refletir esses acordos enquanto não tiverem sido totalmente pagos. “A tendência é de que, nos próximos meses, este cliente que fez um acordo para quitar as prestações em atraso deixe de ser inadimplente e a curva comece a baixar”, avalia o presidente da associação, Décio Carbonari de Almeida.