No Rio Grande do Sul, deputados da situação e oposição parecem determinados a solucionar a polêmica questão das concessões rodoviárias e, consequentemente, dos pedágios. É que por uma série de interferências político-partidárias, os contratos de concessões aparentemente foram malfeitos e, pior, não foram concedidos os reajustes conforme os acordos estabelecidos na época das assinaturas. As empresas concessionárias alegam prejuízos milionários que precisam ser negociados até o ano que vem, quando vencem os contratos. Como parece difícil que o Governo do Estado pague essas indenizações, a alternativa seria a prorrogação dos prazos das concessões. Enquanto isso, quem perde são os usuários, que pagam tarifas caras por estradas simples, asfalto e acostamentos precários. Os motoristas de caminhão são os principais prejudicados nessas discussões.