O roubo de carga aumenta o clima de insegurança na profissão. Caminhoneiros afirmam que o crime está entre os principais fatores que compromete a segurança na estrada. O aumento das ocorrências em diversas regiões do País provoca estresse e medo entre os motoristas, que se sentem ameaçados diariamente.

Assim como os acidentes, o roubo de carga também provoca prejuízos enormes para aqueles que participam da cadeia do transporte rodoviário de cargas. Somente em 2019, os prejuízos foram de R$ 1,250 bilhão. Dados divulgados pela Assessoria de Segurança NTC&Logística, mostram que em 2020 foram computados 14.150 ocorrências, 30,04% a menos que as 18.400 ocorridas em 2019.

Mas como promover uma condução mais segura e reduzir os impactos provocados pelo roubo de carga? Como minimizar a insegurança nas estradas que é um problema grave para os caminhoneiros?

A resposta não é tão simples já que depende de mudanças na legislação e também uma fiscalização mais eficiente em pontos estratégicos das rodovias.

O que diz a lei

Na maioria dos casos o criminoso não é pego em flagrante o que reduz a pena de um a quatro anos de reclusão. Porém em maio de 2011 a Lei 12.403 modificou o código penal e todos os crimes com pena de até quatro anos são considerados de menor potencial e, portanto, o indivíduo apenas paga uma fiança e aguarda o julgamento em casa. A impunidade contribui para o aumento deste tipo de ocorrência na estrada.

Para o Cel. Paulo Roberto de Souza, assessor de segurança da NTC&Logística a falta de uma legislação mais específica para punir receptadores é um dos principais fatores que contribuem para altos índices de roubos de cargas registrados anualmente no Brasil.

A redução é creditada a medidas de segurança por parte das empresas, conforme explica o assessor de segurança da NTC, e responsável pelo levantamento, Coronel Paulo Roberto de Souza.

“Os investimentos em tecnologias e medidas de segurança feitos pelas empresas, além do trabalho de órgãos de segurança pública que têm atuado no combate aos roubos de carga, são apontados como principais responsáveis pela redução no número de casos. Os números são ainda bastante elevados, mas estamos no caminho certo no enfrentamento desse problema”, complementou o assessor de segurança da NTC.

Segurança na estrada: o que fazer para evitar o roubo de carga

É importante os motoristas seguirem a risca o plano de gerenciamento de risco adotado pela a empresa a qual está prestando serviço. Alguns profissionais querem fazer a sua própria rota e parar em locais que conhecem e encontram os amigos. Mas, nem sempre esta atitude é segura e pode facilitar a abordagem de criminosos. O ideal é seguir o plano da empresa que, geralmente, realiza o monitoramento e toma as dívidas providências no caso de algum imprevisto.

Confira algumas dicas que podem te ajudar a não fazer parte das estatísticas.

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RISCO

documento2

O coronel alerta os motoristas sobre a importância de seguirem à risca o plano de gerenciamento de risco adotado pela a empresa a qual está prestando serviço. “Alguns profissionais querem fazer a sua própria rota e parar em locais que conhecem e encontram os amigos.

Mas, nem sempre esta atitude é segura e pode facilitar a abordagem de criminosos. O ideal é seguir o plano da empresa que, geralmente, realiza o monitoramento e toma as dívidas providências no caso de algum imprevisto”, destaca.

VERIFICAR A MANUTENÇÃO DO VEÍCULO

checklist 2077023 1280

A manutenção preventiva é sempre importante para evitar imprevistos de paradas não programadas na estrada. A falta de manutenção compromete a segurança dos motoristas e pode resultar em prejuízos financeiros elevados, particularmente no caso dos caminhões, que ficam sujeitos a longos períodos parados para a realização de reparos e acabam por ter sua vida útil reduzida.

Isso sem falar nos atrasos das entregas, quebra de contratos, veículos parados e perdas das cargas, por conta de tombamentos, saques ou vencimento de validade. Estar com o tanque cheio também é uma boa pedida para não ser surpreendido.

EVITAR VIAJAR DURANTE A NOITE

IMadrugadaMG 5121

Durante a noite a visibilidade fica mais comprometida e  fica difícil observar o que tem ao redor e até mesmo a possibilidade de um outro motorista estar te seguindo. A própria distância percorrida até que você perceba um obstáculo ou uma situação de perigo é maior.

Dirigir à noite exige mais atenção e pelo fato de ter menor visibilidade  é essencial que todos os equipamentos estejam funcionando adequadamente. Outro ponto é evitar trajetos vazios e muitas vezes neste período tem menos movimento nas rodovias e locais de parada.

PARAR APENAS EM LUGARES CONFIÁVEIS

greve05

As paradas devem ser programadas com antecedência. A rota deve ser bem planejada. Alguns aplicativos e ferramentas podem ajudar você a ter informações relevantes e te auxiliar nas melhores escolhas. Verifique se a estrada possui bons pontos de parada, postos de abastecimento e até mesmo fiscalização da polícia rodoviária.

Ter todos esses dados é importante para a solução rápida no caso de algum imprevisto.

NÃO DAR CARONA

Abertura 4MG 3626

Nos acostamentos é comum ter pessoas pedindo carona. Porém a prática é muito perigosa e pode comprometer a sua segurança. São inúmeros os relatos de motoristas que são solicitados a dar carona – em muitos casos mulheres são usadas como “isca” – e sofrem o roubo logo após parar o veículo ou pouco tempo depois que a pessoa que pedia carona entra na cabine.

Outro ponto importante é evitar os chapas na rodovia, eles são muito perigosos e podem estar a serviço de alguma quadrilha.

Conheça os perigos de oferecer carona

EVITAR CONVERSA SOBRE PRODUTO TRANSPORTADO

Feira Avani joão Edson

Muitas vezes quando o motorista para em um posto para descansar participa de rodas de conversas e refeições comunitárias com outros colegas. E isso é saudável e faz parte do dia a dia.

Mas, é prudente, segundo orientação do Cel. Paulo Roberto de Souza evitar conversar sobre a carga transportada, especificar os lugares de entrega, horários. Nunca se sabe se alguém mal intencionado pode estar por perto, escutar a conversar e agir de má fé.

Quanto menos informação sobre o seu transporte e sua rotina você fornecer maiores as chances de se manter seguro.

RASTREADORES

antonio Marcos P
Antonio Marcos Mendonça, que no passado já foi abordado por ladrões, conta que hoje em dia se sente mais seguro com rastreador no caminhão

Com a tecnologia atual, há diversas formas de proteger seu caminhão de furto e roubo. Os sistemas de segurança têm tudo o que você precisa para se manter em segurança.

O uso do rastreador é uma das principais medidas adotadas pelos transportadores para reduzir os prejuízos causados pelo roubo de carga. No início, houve quem torceu o nariz para a tecnologia, sob argumento de falta de liberdade no trabalho.

Porém, diante do aumento da insegurança nas estradas, os carreteiros passaram a ver com bons olhos o fato de serem vigiados 24 horas por dia, alegando se sentirem mais seguros, mesmo tendo de seguir um plano de viagem com horários, rotas e pontos de paradas para serem cumpridos.