O sistema de cobrança de pedágio por quilômetro rodado passará a ser executado em no máximo 40 dias na SP-75 – também conhecida como rodovia do açúcar – que liga os municípios de Sorocaba e Campinas, no interior paulista. Ao menos foi o que afirmou o governador Geraldo Alckmin, na última semana. De acordo com o governador, a próxima via a receber a medida será a Rodovia Adhemar Pereira de Barros (SP-340), que liga Campinas a Jaguariúna.
O novo formato coloca um “ponto final” na antiga disputa entre o governo e a Renovias, que se arrastava há meses. Alckmin exigia da concessionária a construção de mais uma praça de pedágio, em Mogi Mirim, como previa o contrato de concessão. Com isso, o preço da tarifa para moradores da cidade cairia pela metade. A empresa, por sua vez, alegava não ter nenhuma cláusula de obrigatoriedade no acordo assinado. “Com o novo sistema de cobrança não faz sentido exigir a construção de nova praça”, disse Alckmin.
Segundo a Artesp, todo o trabalho para o funcionamento da cobrança ponto a ponto, junto à concessionária responsável pela SP-75, já foi feito e, no momento, só está sendo aguardado que a empresa vencedora da licitação entregue os equipamentos que farão a leitura e cálculos dos pedágios.
Assim que o material chegar, será dado início ao cadastramento dos usuários e, em seguida, a entrega gratuita dos aparelhos de cobrança para os motoristas das cidades localizadas na extensão da rodovia – Sorocaba, Itu, Porto Feliz, Salto, Cabreúva, Indaiatuba e Campinas. O investimento para a implantação da estrutura será de R$ 24 milhões, incluindo a aquisição de um milhão de tags (leitores), câmeras, pórticos, antenas e outros equipamentos necessários para o funcionamento pleno desse tipo de sistema.
Para evitar falhas, há alguns meses, foi instalada uma antena na praça de pedágio de Indaiatuba, período em que foram realizados testes com ajuda de carros contendo o equipamento. A previsão é que dentro de 15 dias os conjuntos de pórticos previstos para a via comecem a ser instalados. De acordo com a Artesp, serão nove pórticos em cada um dos dois sentidos da rodovia entre os quilômetros 15 e 76 da rodovia.
Antenas como as de celulares, que identificarão quanto percorreu o motorista, também serão instaladas, além de cabines específicas para usuários do novo sistema. A cobrança manual será mantida e durante o funcionamento desse sistema ponto a ponto, o motorista poderá fazer a recarga da mesma forma como já ocorre com o sistema Sem Parar, só que utilizando o formato pré-pago. Esse “abastecimento” só poderá ser feito em locais que serão definidos posteriormente pelos municípios.
Neste projeto piloto, os usuários poderão optar em aderir ou não o modelo. Quem escolher o novo tipo de cobrança não terá um acréscimo, já que o valor será o mesmo usado como base para calcular as tarifas que estão em vigor nos pedágios tradicionais, ou seja, os carros de passeio irão pagar R$ 0,14 por quilômetro rodado.

Fonte: Portal Estradas