Europa sofre sem motoristas

Crise alivia déficit de profissionais para dirigir caminhões na Europa, mas cenário segue preocupante e deve piorar com a recuperação da economia no continente

Um gigante da sua geração

No início da década de 1980, os caminhões ainda eram brutos. O Ford F-21000, por exemplo, oferecia como itens opcionais direção hidráulica e banco individual...

VM 310 coloca Volvo no segmento de 43 toneladas

Às vésperas do mercado sofrer uma importante mudança para atender a legislação do meio ambiente, a Volvo apresenta um produto para o segmento de carga que utiliza carretas com até 43 toneladas de PBTC e outro para o transporte de cana-de-açúcar, madeira e outros setores que utilizam caminhões com terceiro eixo 6X4.

Transitar pelo acostamento

Na rodovia, quem ainda não se viu sendo ultrapassado pelo acostamento? Segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), acostamento é a parte da via...

Um semipesado estradeiro

Equipado com motor de 279cv de potência e caixa de transmissão de nove velocidades, o Axor 2428 6X2 tem como destaque um trem-de-força bem resolvido que o torna um semipesado ligeiro, confortável, e fácil de ser conduzido, principalmente nas operações rodoviárias em curtas, médias e até longas distâncias

Cansaço, rebite e álcool, o trio perigoso do trecho

O cansaço em razão do longo período de tempo ao volante sem paradas para descanso, mais o uso de rebite para prolongar o tempo de direção e o consumo de bebidas alcoólicas são apontados como os principais vilões da estrada e responsáveis pela ocorrência de acidentes

PNEUS RESSULCÁVEIS

Um dos fatores que contribuem para aumentar a eficiência quilométrica de um pneu é sua característica de ressulcabilidade, mas nem todos os pneus de...

Entenda o rodízio de caminhões em São Paulo

Desde o dia 30 de junho veículos de médio e grandes portes tiveram o horário restrito para circular na área central de São Paulo. Porém, os motoristas devem ficar atentos as novas regras de circulação iniciadas no final de julho

Motorista bloqueado

Para o autônomo, estar com o nome bloqueado junto às gerenciadoras de risco e transportadoras significa não poder carregar e, por consequência, não faturar. Isso, salvo os casos em que lhe são oferecidos aqueles fretes recusados por todos, devido principalmente ao baixo valor. Os motivos que levam os profissionais a esta situação geralmente são cheques devolvidos e contas não pagas ou com a prestação em situação de atraso

Igualdade só na aparência

Neste comparativo entre dois caminhões semelhantes (mas não exatamente iguais) em condições rigorosamente idênticas, demonstramos na prática como ajustes tecnológicos assertivos e criativos podem...