Depois de um ano de dicas para os leitores da Revista O Carreteiro, sempre objetivando um melhor aproveitamento dos pneus do seu bruto, vamos fazer um resumo de tudo que vimos:

Pneu, o vilão na planilha de custos. Relato da importância da correta pressão de ar na durabilidade do pneu e consequente redução no custo operacional das empresas. É um dos itens de maior importância e representatividade no desempenho de um pneu e por outro lado é o mais fácil e barato de ser corrigido.

Consequências de se rodar com pressão acima da recomendada, seus perigos e influência no desempenho da carcaça, inclusive no aproveitamento para futuras reformas. Cuidados necessários para se definir e manter a correta pressão de trabalho de um pneu.

A importância de um bom controle de quilometragem dos pneus de um veículo com formas de se determinar o custo por quilômetro rodado e a definição de qual melhor marca de pneu para seu serviço.

Recomendações sobre como determinar a correta pressão de trabalho de um pneu.

Desafios dos empresários do segmento de transportes no que diz respeito à administração do seu negócio e aos constantes aumentos de custos e a deterioração das estradas por onde escoam nossa produção, seja agrícola, industrial, mineral entre outras. A entrada de operadores estrangeiros é outro desafio a ser enfrentado pelos nossos transportadores locais.

Importância de um bom controle da vida total de um pneu e seu custo por quilômetro rodado. Isso determina a melhor marca do pneu novo e da reformadora, pois aqueles que apresentarem o menor custo por quilômetro rodado certamente deverão ter preferência na hora da compra desses itens.

Análise da sucata de pneus pois, um correto e eficiente exame das causas da remoção do pneu de serviço, pode determinar diversos problemas ocorridos durante toda a vida do pneu que podem advir de inúmeros locais como: borracharia, mecânica, hábitos ao dirigir, estradas, entre outras. Na correta análise da sucata antes de virar lixo, pode-se determinar o quanto de borracha está sendo jogada fora, medindo-se o remanescente de borracha nos pneus sucateados, além de pneus passíveis de garantia pelos fabricantes ou reformadores. Sobrecarga e suas consequências.

Esperamos poder continuar contribuindo para que todos consigam colocar em prática alguns dos itens aqui discorridos e que possam ter mais lucros em suas operações.

Bom trabalho a todos e até o mês que vem.

Esse Boletim Técnico é de responsabilidade do Consultor na Área Automotiva Pesada, Guilherme Junqueira Franco, que tem a formação TTS – Truck Tire Specialist (Especialista em Pneus de Caminhão). Dúvidas poderão ser tiradas pelo e-mail [email protected] Até o próximo mês.